#METATIPS: QUAL O MELHOR HORÁRIO PARA TREINAR?

Afinal, qual será a melhor hora para treinar? De manhã, de tarde ou de noite?

Antes deste período delicado que estamos a enfrentar, existiam inúmeras recomendações sobre a temática “da melhor hora para a prática de exercício físico” – tendo, obviamente, em conta a sua intensidade.

Dentro da escolha, existem variáveis positivas (vantagens) e negativas (desvantagens), sendo o mais importante a adaptação da hora do dia à atividade física (consoante o objetivo pretendido). 

⚠ Por exemplo: Realizar um treino intenso perto da hora considerada normal de ir dormir, tendo, obviamente, em conta o ritmo circadiano de cada individuo, pode levantar problemas relativos à qualidade do sono, estando ainda este, dependente do estilo/ritmo de vida individual.

Pelo  período da manhã:

Treinar de manhã ajuda a ativar a circulação sanguínea, existe uma libertação hormonal relacionada com o bem-estar, não esquecendo que é o um bom despertador natural (Schoenfeld et al, 2019). Ainda assim, os madrugadores devem ter em consideração que existem alguns cuidados a ter nos treinos matinais:

– O corpo esteve em repouso e em jejum durante um longo período de tempo (dormir),  é importante não iniciar a atividade física com exercícios muito intensos e explosivos, é necessário haver aquecimento e adaptação.

Pelo período da tarde:

Realizar um tipo de treino com ritmo cardíaco mais elevado à tarde tem maior benefício para o metabolismo (Schoenfeld et al, 2019). Estando o corpo mais ativo nesta fase do dia, torna-se mais fácil potenciar esse mesmo tipo de treino, acelerando o metabolismo, permitindo assim, que o gasto calórico seja maior. Por outras palavras, o exercício físico à tarde, é uma boa solução, caso o objetivo seja a perda de peso, isto porque, estamos a estimular um maior gasto calórico na altura do dia em que temos mais energia.

Pelo período da noite:

Os benefícios dos treinos à noite variam muito consoante o perfil e estilo de vida de cada pessoa. Teoricamente, é melhor o tipo de exercício ser de intensidade mais baixa, como por exemplo: uma caminhada, uma aula de yoga, pilates, alongamentos, entre outros (Schoenfeld et al, 2019).

Por outro lado, pode tornar-se mais difícil adormecer, acima de tudo se as atividades forem de maior intensidade. No entanto, para aqueles que tem uma agenda mais ocupada (Teletrabalho, cuidar dos filhos, etc), não conseguindo treinar durante o dia, o treino pelo período noturno, pode induzir a sensação de dever cumprido, a juntar com a sensação de relaxamento após a refeição pós-treino, ajudando assim, a adormecer mais facilmente.

Em suma, tendo em conta o funcionamento normal do ritmo circadiano, mesmo em quarentena, o importante é manter uma rotina de treino adequada ao ritmo diário de cada individuo, considerando, as vantagens e desvantagens de cada fase do dia.

Não esquecendo: o importante é manter os três principais pilares – alimentação, treino e descanso – em harmonia.

 

Referências bibliográficas:

Grgic, J., Lazinica, B., Garofolini, A., Schoenfeld, B. J., Saner, N. J., & Mikulic, P. (2019). The effects of time of day-specific resistance training on adaptations in skeletal muscle hypertrophy and muscle strength: A systematic review and meta-analysis. Chronobiology International, 36(4), 449–460. https://doi.org/10.1080/07420528.2019.1567524

 

O Personal Trainer,

Diogo Garrudo

Deixe uma resposta

Close Menu
×
×

Cart