#NUTRIMORPHOSYS – CARÊNCIA DE VITAMINA D, COMO EVITAR?

Muito se tem falado na vitamina D em tempos de confinamento, mas sabias que a população portuguesa já sofria de carência desta vitamina antes da pandemia?

Mesmo em Portugal, um país com um clima solarento e gastronomicamente completo, a literatura diz-nos que 60% da população portuguesa apresenta níveis de vitamina D inferiores a 20 ng/mL.

De acordo com novas diretrizes, o nível de 25-hidroxivitamina D no sangue deve situar-se idealmente acima dos 50 ng/mL. 😲⁣ ⁣

Segundo esse mesmo estudo, com dados retirados entre 2012 a 2013, os idosos, obesos e os residentes no arquipélago dos Açores são os que apresentam um risco mais elevado (Duarte e col, 2017).⁣

Uma das razões pode dever-se à baixa exposição solar, principalmente durante os meses de inverno. Outra das razões pode dever-se ao aumento da obesidade e do excesso de peso, uma vez que a vitamina D é solúvel em gordura, então quem tem mais gordura corporal tem maiores necessidades desta vitamina. 📌⁣ ⁣ 📣

Qual a solução para prevenir esta carência?⁣ ⁣ A nutricionista Rita Mestre deixa-te 3️⃣ dicas fundamentais:⁣ ⁣

1️⃣Vigiar o peso e manter a percentagem de gordura corporal dentro dos padrões recomendados.⁣ ⁣

2️⃣Aumentar o consumo de fontes alimentares de vitamina D como: óleo de peixe, peixes gordos, gema de ovo, cogumelos, lacticínios e produtos alimentares enriquecidos.⁣ ⁣

3️⃣De 80 a 90% da fonte de vitamina D vem da exposição solar. Como tal, devemos realizar uma exposição solar responsável, durante cerca de 15-20 minutos, entre as 12h e as 16h, pelo menos 3x por semana. Após esse tempo é importante colocar protetor solar, de forma controlada, para garantir que não ocorrem lesões graves na pele.⁣ ⁣

Nota: Suplementar se necessário, de acordo com as orientações e marca sugeridas por um profissional.⁣

A Nutricionista,

Rita Mestre

Deixe uma resposta

Close Menu
×
×

Cart